sábado, 30 de maio de 2009

Manifestação de Professores em Lisboa - 30 de Maio









Estava muito calor, mas éramos mais de 70 000 e parece que ninguém contava com isso, a saber:
1) comunicação social, que não fez a cobertura como anteriormente;
2) a Ministra da Educação que continua a considerar que os professores demonstram nas manifestações a sua insatisfação, mas que isso não a faz desistir, gosta mais de remar contra a maré;
3) o Primeiro Ministro que ficou muito zangado num comício pelo facto , digo eu, de que os professores continuam a demonstrar que não têm medo e lá voltaram em força à manifestação e enervou-se todo e agora diz os professores são instrumentalizados pelos partidos todos (excepto o PS, devia estar zangado com os socialistas que não conseguiram desmobilizar os professores!!!!) já não só instrumentalizados pelo só pelo Partido Comunista...

sexta-feira, 29 de maio de 2009

L´estaca (Lluís Llach)

Manifestação Professores

Si estirem tots, ella caurà
I molt de temps no pot durar :
Segur que tomba, tomba, tomba !
Ben corcada deu ser ja.
Si tu l'estires fort per aquí
I jo l'estiro fort per allà,
Segur que tomba, tomba, tomba
I ens podrem alliberar.

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Carta aberta (de Santana Castilho) ao primeiro ministro


Encontramo-nos Sábado

Este blogue também subscreve o manifesto
Encontramo-nos Sábado

1) Este governo desfigurou a escola pública. O modelo de avaliação docente que tentou implementar é uma fraude que só prejudica alunos, pais e professores. Partir a carreira docente em duas, de uma forma arbitrária e injusta, só teve uma motivação economicista, e promove o individualismo em vez do trabalho em equipa. A imposição dos directores burocratiza o ensino e diminui a democracia. Em nome da pacificação das escolas e de um ensino de qualidade, é urgente revogar estas medidas.
2) Os professores e as professoras já mostraram que recusam estas políticas. 8 de Março, 8 de Novembro, 15 de Novembro, duas greves massivas, são momentos que não se esquecem e que despertaram o país. Os professores e as professoras deixaram bem claro que não se deixam intimidar e que não sacrificam a qualidade da escola pública.
3) Num momento de eleições, em que se debatem as escolhas para o país e para a Europa, em que todos devem assumir os seus compromissos, os professores têm uma palavra a dizer. O governo quis cantar vitória mas é a educação que está a perder. Os professores e as professoras não aceitam a arrogância e não desistem desta luta: sair à rua em força é arriscar um futuro diferente. Saír à rua, todos juntos outra vez, é o que teme o governo e é do que a escola pública precisa. Por isso, encontramo-nos no próximo sábado.

Subscrevem:
Os blogues: A Educação do Meu Umbigo (Paulo Guinote), ProfAvaliação (Ramiro Marques), Correntes (Paulo Prudêncio), (Re)Flexões (Francisco Santos), Educação SA (Reitor), O Estado da Educação (Mário Carneiro), Professores Lusos (Ricardo M.), Outròólhar (Miguel Pinto), O Cartel (Brit.com, Advogado do Diabo)
Os movimentos: APEDE (Associação de Professores em Defesa do Ensino), MUP (Movimento Mobilização e Unidade dos Professores), PROmova (Movimento de Valorização dos Professores), MEP (Movimento Escola Pública), CDEP (Comissão em Defesa da Escola
Pública)
***

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Pontos de vista



Retirado de fotomaf.tumblr.com

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Crónica de Manuel António Pina no JN

A notícia veio em tudo o que é jornal e TV: uma professora da Escola EB 2,3 Sá Couto, em Espinho - que dezenas de alunos seus consideram "a mais espectacular da escola" e uma "segunda mãe" - foi suspensa "após afirmações de cariz sexual". A suspensão foi ditada pelo Conselho Directivo depois de duas alunas terem gravado afirmações suas numa aula, alunas que, segundo vários colegas, "fizeram aquilo de propósito e provocaram a conversa toda porque sabiam que estavam a gravar".
A Associação de Pais e a DREN acharam muito bem. Ninguém, nem pais, nem Conselho Directivo, nem DREN "acharam mal" o facto de duas jovens de 12 anos terem cometido um crime (se calhar encomendado) para alcançarem os seus fins. O Código Penal pune com prisão até 1 ano "quem, sem consentimento, gravar palavras proferidas por outra pessoa e não destinadas ao público, mesmo que lhe sejam dirigidas", punição agravada de um terço "quando o facto for praticado para causar prejuízo a outra pessoa". Educadas desde jovens para a bufaria e a delinquência e sabendo que o crime compensa, que género de cidadãos vão ser aquelas miúdas?

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Jorge Sampaio na Guarda



O Dr. Jorge Sampaio deslocou-se à Guarda para falar de "um flagelo oculto - a tuberculose".
O convite foi feito por cinco alunas da Escola Secundária Afonso de Albuquerque.
Teve o apoio da Câmara Municipal, Governo Civil, Teatro Municipal, entre outros.
O meu apreço vai , em particular, para a iniciativa das alunas.

Controlo (quase) total, em nome da liberdade


Abro o jornal Público e acordo logo, mesmo antes do cafezinho da praxe:


Ambiente destruiu dossiers sobre caso de corrupção da Cova da Beira


Conveniente, não?


Ao lado desta, outra notícia de aregalar os olhos:


Para combater crimes


Tráfego de e-mails vai ser guardado


Notícia para ler nas páginas 2 e 3
Assim que sair a portaria toda a informação de tráfego - local, identificação da ligação do emissor e receptor, hora - das chamadas via inetrnet e do correio electrónico vai ser guardada durante um ano.
Só falta Estado e operadoras chegarem a acordo.


Na página 3, José Vítor Malheiros pergunta


"...se não seria melhor considerarem desde já que somos todos terroristas à la Bush e meterem-nos desde já na cadeia..."


E diz a certa altura"... quando uma nação considera a liberdade como secundária, é certo e sabido que perderá a liberdade... e depois todo o resto."


Ninguém sente um arrepio na espinha?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Bartoon de Luís Afonso


in Público de 13/05/2009
Por que razão (quase) todas as afirmações de um certo PM num certo país são (quase) sempre uma grande mentira... ou uma grande pantominice???

Carta Santana Castilho à Ministra da Educação


in Público de 13/05/2009

sexta-feira, 8 de maio de 2009

O Presidente da Câmara que fez queixa ao Director que demitiu o Coordenador em Fafe

«Ministra da Educação vai ao Parlamento explicar demissão do coordenador de Fafe
O BE chamou hoje a ministra da Educação ao Parlamento para explicar a demissão de um coordenador de uma escola em Fafe, por este alegadamente «não ter mobilizado» a comunidade escolar para a inauguração de uma nova biblioteca

(…)
num momento em que havia uma inauguração de uma biblioteca escolar, o presidente da Câmara achou que nesse domingo de manhã não havia lá gente suficiente e fez queixa ao novo director da escola, que resolveu destituir o coordenador», referiu.
Para a deputada do Bloco, «o que está em causa é a aplicação do novo modelo de gestão das escolas que dá poderes totalitários ao director, de nomear e destituir coordenadores a seu bel-prazer».
In sapo/sol on-line

Então dever-se-ia ter demitido também o Presidente da Câmara, que não soube “arregimentar” os seus munícipes para tal inauguração… e por que razões não fez a inauguração num dia de aulas? ( eu vou dizer pela milésima vez a imagem que me vem à cabeça, quando me falam em inaugurações: corre o ano lectivo 1958/1959 , andava eu na 4ª classe, estava em Lagoaça, Freixo-de-Espada-à-Cinta, foi a esta terra Américo Tomás, na qualidade de Presidente da República e as criancinhas com muitas bandeirinhas na mão – era tão pequena que não sei que foi ele inaugurar ou a que evento foi presidir – e passados anos, no meu 1º ano de trabalho, 1973/1974 ( não, ainda não tinha sido Abril) , no início do ano lectivo foi inaugurar a Escola Preparatória, em Anadia, novinha em folha – quem? Quem? – o mesmo Presidente Américo Tomás… e agora, quando falam em inaugurações, de quem me lembro? … como se nada tivesse mudado…
Além disso, os professores – coordenadores ou outros - (ainda) não estão ao serviço das Câmaras 24 horas por dia, sábados e domingos incluídos , mas lá chegaremos…

E como se ainda não bastasse , chega-me esta novidade:

Tavira: Professor do filho de autarca afastado desde 5.ª feira
Suspenso sem saber porquê
Sandro Colaço, professor de Expressão Corporal do ATL da Escola Básica de Santa Luzia, Tavira, foi suspenso pela autarquia, na quinta-feira, depois de um acidente durante uma aula que envolveu o filho do presidente da câmara, Macário Correia.
"Era um exercício normalíssimo, supervisionado por mim", explica o docente, que diz não saber por que razão está suspenso. A turma tinha terminado o ensaio da peça ‘Inspector Tótó’ e, no exercício seguinte, com os alunos de olhos vendados, o filho do presidente da Câmara de Tavira feriu o lábio.


Ler tudo em www.sinistraministra.blogspot.com
1) coitada da criança, florzinha de estufa;
2) os tiques estão aí à vista de todos, só não vê quem não quer…


terça-feira, 5 de maio de 2009

Desobediência pedagógica


Resistência pedagógica, quando manifestações e greves não atingem o objectico ... por uma escola digna...
"En conscience, je refuse d’obéir" - Entretien avec Alain REFALO, professeur des écoles
"Résistence pédagogique pour l'avenir de l'école"
«Il faut beaucoup d'indisciplinés pour faire un peuple libre. » Georges Bernanos, Les enfants humiliés, Gallimard, 1949

sexta-feira, 1 de maio de 2009