quarta-feira, 29 de junho de 2011

CONTRA o DESacordo ortográfico

"A progressiva autonomização da Língua (qualquer que seja) até à sua total autodeterminação e, portanto, à independência, é um processo irreversível. Tão imparável como a própria independência nacional e tão simples e natural como a deriva dos continentes. Reverter administrativamente estes processos tem tantas hipóteses de sucesso como arrastar a Europa para junto da África à força de braços e usando cordas."
João Pedro Graça

Leia o texto da Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico em http://ilcao.cedilha.net/?page_id=92


2. Faça “download” do impresso de subscrição em
http://ilcao.cedilha.net/docs/ilcassinaturaindivword.doc


3. Preencha e assine o impresso conforme as instruções nele contidas.

4. Envie o impresso preenchido, por correio normal, para o endereço nele indicado.

Discussão sobre livro didático só revela ignorância da grande imprensa

Discussão sobre livro didático só revela ignorância da grande imprensa ( texto escrito em língua brasileira)

"Enquanto não se reconhecer a especificidade do português brasileiro dentro do conjunto de línguas derivadas do português quinhentista transplantados para as colônias, enquanto não se reconhecer que o português brasileiro é uma língua em si, com gramática própria, diferente da do português europeu, teremos de conviver com essas situações no mínimo patéticas."

sábado, 25 de junho de 2011

Pela suspensão imediata do Acordo Ortográfico

in jornal Público de 25/6/2011

Com a devida vénia, faço minhas as palavras dos autores EM BOM PORTUGUÊS!!!

quinta-feira, 23 de junho de 2011

A história do rapaz, do velho e do burro e a viagem de Passos Coelho em económica

O velho, o rapaz e o burro - Presentation Transcript


1.O velho, o rapaz e o burro

2.Num monte, habitava um rapaz com um homem muito velho. Num determinado dia, resolveram encaminhar-se até ao povoado acompanhados pelo seu burro. No entanto ao passarem por uma terra, foram reprovados por aqueles que os fitavam enquanto faziam a sua passagem.

3.- Olhem aqueles patetas, com um burro e vão a pé. Então, o velho disse ao seu neto para montar o burro, e este último assim o fez. No entanto ao passarem perto de outras pessoas, foram novamente reprovados: - O garoto que é forte montado no burro e o velho, coitado, é que vai a pé.

4.Por conseguinte, o velho mandou o neto descer do burro para o poder montar. Continuaram o seu caminho até que encontraram um novo grupo de pessoas e mais uma vez, foram reprovados: - Olhem para isto! A pobre criança a pé e ele recostado no burro… Visto isto, o velho ordenou ao rapaz para montar no burro juntamente com ele.

5.O rapaz obedeceu e prosseguiram com a viagem, mas um pouco mais à frente estava um grupo de pessoas que os enfrentaram com revolta: - Apeiem-se, homens cruéis! Querem matar o burrinho? Enquanto desceram, o velho disse ao rapaz: - Desce. Continuamos a viagem como começámos.

6.Moral da história: - Está visto que não podemos calar a boca ao mundo!
 
(retirada daqui http://www.slideshare.net/teclar/o-velho-o-rapaz-e-o-burro-1250181)
 
Vem esta história a propósito da decisão do actual Primeiro Ministro Passos Coelho ter decidido viajar de avião, em económica, a metade do preço e das comodidades, na ida para Bruxelas.
 
Levantaram-se logo muitas vozes a dizer que era desprestigiante. Seriam possivelmente as mesmas vozes que não tardariam a increpá-lo por gastar tanto dinheiro a viajar com um determinado número de pessoas em executiva ou por outro qualquer gasto.
 
Por mim, acho que fez muito bem: se estamos em período de vacas magras, as vacas estão magras para todos e é uma mensagem acertada. Portanto, os cães ladram e a caravana passa e, se conseguir passar com menos gastos , melhor para nós.
 
Mas nós, neste recanto, à beira-mar plantado ainda temos a ideia tola de que carros topo de gama e fatiotas caríssimas são sinónimo de competência e valor...

domingo, 19 de junho de 2011

O acordo ortográfico e o direito dos comboios à greve - Francisco Miguel Valada


"Mais lamentável do que a ambiguidade criada pelo AO90 é o avanço impetuoso para aplicação de lei tão defeituosa, sem conjuntamente se reflectir de forma séria, serena e ponderada acerca duma ampla revisão da mesma ou do seu completo abandono."

Acrescento: casos há em que não há contexto que nos valha...



terça-feira, 7 de junho de 2011

SE há dupla grafia, não há acordo

AQUI

http://avozportalegrense.blogspot.com/2011/06/antonio-martino-de-azevedo-coutinho.html

parte da entrevista de um dos  responsáveis da Porto Editora.

Só a morte não tem remédio. Leis feitas pelos homens contra a vontade dos povos que não beneficiam ninguém ( nem aqueles que delas pensaram um dia tirar vantagem) podem felizmente ( e devem) ser revogadas. É sempre tempo.

Se não concorda com o Acordo Ortográfico90, assine a ILC - contra o acordo ortográfico http://ilcao.cedilha.net/?page_id=270
e envie.

sábado, 4 de junho de 2011

Entre a reflexão desajustada e o pindérico acordo ortográfico


Eu não diria melhor ( presunção a minha!!!) nem num caso nem no outro... ( no caso do acordo ortográfico, lembro ainda que os políticos portugueses defendem-na tanto e tão bem que nem o entendimento - esta palavra faz-me lembrar o momento triste decepcionante da luta dos professores e, por isso, me arrepia - com a chamada troika foi assinado em LÍNGUA PORTUGUESA)  por isso aqui fica para reflexão... no dia em que o Presidente da República vai falar ao país antes do jogo da selecção Portuguesa com a selecção da Noruega... nos últimos tempos, os políticos portugueses fazem declarações antes e entre jogos... no mínimo, original...