sexta-feira, 30 de maio de 2008

Os blogues são o diabo!!!

Os blogues ...
os blogues foram ontem alvo de debate no "aqui e agora" da SIC...
os blogues são uma tragédia;
os blogues são ninhos de víboras prontas a destilar veneno contra tudo e contra todos;
os blogues são um antro de gente anónima que não sabe o que fazer e disparata contra qualquer um sem tom nem som ( por acaso também teria sido bom que os jornalistas , depois - ou antes, tanto faz - de ouvirem o senhor comentador/jornalista/escritor que tanto se considera atacado nos blogues , revissem e relessem tudo quanto ele escreveu e disse contra os professores, depois, podiam falar à vontade! e queixar-se!);
os blogues são um covil de criminosos, terroristas e afins;
os blogues são sítios de um bando de solitários... ai a solidão, que má conselheira pode ser a solidão!
os blogues são lugares onde narcisistas escrevem e mostram a toda a gente "olhem que bem que eu escrevo!" ( então e os escritores que publicam as suas obras, quantos havia no debate? para que escrevem? ... só para ganhar dinheiro??? )
os blogues são o diabo!!!


Parece que se esqueceram os quatro senhores ( jornalista e comentadores - não vi tudo , confesso, porque não me posso enervar, falo do que vi e ouvi e me deixou perplexa, porque aqueles senhores não são pessoas comuns nem pela formação nem pela visibilidade!) que ( e como tudo e todos com perigos e riscos - eu posso ser atropelada, se saio à rua, mas não deixo de sair todos os dias mais que uma vez!!! demagogia dirão!!!):
os blogues são um ponto de encontro e de debate;
os blogues são comunicação rápida, fácil e salutar entre pessoas comuns, escritores, pintores, escultores...
os blogues são a força das ideias, o lugar das lutas e da união;
os blogues são a voz do cidadão comum...
os blogues nunca são anónimos - há sempre maneira de identificar, pelo menos, de onde veio a frase, a ideia, a publicação... ( para quem sabe!!!)
os blogues são a liberdade de expressão - por alguma razão, alguns países controlam a rede e a censuram;
...
Disse-se o mesmo da Tv há... quantos anos???
Não cheguei a perceber o que é que os incomoda tanto... nos blogues ou percebemos todos???
...
P.S. Mas entretanto, um blogue muito conhecido, sem autorização do autor e "comentadores" que são muuuuitos , passou, em imagens, na peça que sustentou a discussão... devem andar por lá uns anónimos atrevidotes que têm o despautério de deixar comentários - imensos e, às vezes, longos sobre os assuntos dos posts. Pode lá permitir-se uma coisa destas num país democrático e livre???

quarta-feira, 28 de maio de 2008

SEM LISTAS NA SECUNDÁRIA ANTÓNIO NOBRE

DIVULGUEM!
DIVULGUEM!
SEM LISTAS NA SECUNDÁRIA ANTÓNIO NOBRE
Escola Secundária António Nobre sem listas docentes candidatas ao Conselho Geral Transitório
Tal como vem acontecendo em várias escolas de todo o país, terminado o prazo aberto na Escola Secundária António Nobre, no Porto, para apresentação de listas candidatas ao Conselho Geral Transitório previsto no artigo 60.º do Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de Abril, não teve lugar a apresentação de qualquer candidatura ao órgão em causa. Lembramos que, nos termos do disposto no citado decreto-lei, a não criação deste órgão impede, na prática, a aplicação do novo modelo de gestão, pois seria o Conselho Geral Transitório a promover os procedimentos que levariam à selecção do futuro director.
O SPN, desde o início muito crítico deste novo modelo, saúda os docentes desta escola e aproveita para renovar o apelo a que em cada escola e agrupamento se evitem as precipitações e que sejam muito bem discutidas todas as implicações deste novo modelo, na certeza de que muitas mais decisões deste tipo irão, naturalmente, surgir.
mobilizacaoeunidadedosprofessores.blogspot.com/
Escola Secundária António Nobre sem listas docentes candidatas ao Conselho Geral Transitório
Tal como vem acontecendo em várias escolas de todo o país, terminado o prazo aberto na Escola Secundária António Nobre, no Porto, para apresentação de listas candidatas ao Conselho Geral Transitório previsto no artigo 60.º do Decreto-Lei n.º 75/2008 de 22 de Abril, não teve lugar a apresentação de qualquer candidatura ao órgão em causa. Lembramos que, nos termos do disposto no citado decreto-lei, a não criação deste órgão impede, na prática, a aplicação do novo modelo de gestão, pois seria o Conselho Geral Transitório a promover os procedimentos que levariam à selecção do futuro director.
O SPN, desde o início muito crítico deste novo modelo, saúda os docentes desta escola e aproveita para renovar o apelo a que em cada escola e agrupamento se evitem as precipitações e que sejam muito bem discutidas todas as implicações deste novo modelo, na certeza de que muitas mais decisões deste tipo irão, naturalmente, surgir.
mobilizacaoeunidadedosprofessores.blogspot.com/

domingo, 25 de maio de 2008

Ser pastor - programa exótico, fonte de receita ou luta contra o esquecimento?


« Um dia vamos querer voltar ao campo , em busca da nossa memória primordial...

(...)

.... Só então perceberemos a tragédia , o erro colossal de acreditramos que os político-economistas têm razão quando dizem que muitas aldeias estão condenadas a desaparecer para que outras possam sobreviver, porque o Estado não pode sustentar todo o território.

(...) »

in Fugas nº 418 de 24/05/2008 (com o Público)

sexta-feira, 23 de maio de 2008

Professores deputados socialistas querem passar de imediato a titulares... mais esta?

Os deputados socialistas, professores, querem passar de imediato a professores titulares, sem darem aulas e sem serem avaliados ...

ler aqui:
http://escolapublica2.blogspot.com/2008/05/que-vergonha.html

quinta-feira, 22 de maio de 2008

Uma pessoa lê, vê e ouve ... e não quer acreditar... professores convocados para substituir funcionários em greve!

E souberam desta?... que , a ser verdade, não tem qualificação?...



in http://www.educar.wordpress.com/

Mensagem chegada hoje ao telemóvel de alguns docents de uma Escola da zona de Leiria, por causa da greve do pessoal auxiliar:

“Urgente! Convocam-se todos os professores para assegurarem o trabalho dos funcionário na abertura de salas e restantes atribuições.

P’lo conselho executivo.”



E os professores que terão feito? compareceram sem hesitar? protestaram? não apareceram? Apresentaram queixa a quem de direito? Era bom saber-se! Ou ninguém sabe que não se pode substituir trabalhadores em greve?

E, se os professores fizerem greve, convocam os auxiliares de educação para leccionar ???

quarta-feira, 21 de maio de 2008

ASAE com seta para baixo...



Ainda do Público de sábado, dia 17 de Maio... com seta para baixo o Presidente da Autoridade para a Segurança Alimentar e Económica...

Comentários breves

1. Parece que estes senhores andam noutro país a nadar em fartura...

2. Já alguém reparou que a ASAE traz coletes em que se lê "POLÍCIA"???

terça-feira, 20 de maio de 2008

O "trabalho" da pobreza - João Fraga de Oliveira


« ... sob o ponto de vista da democracia e da cidadania, por mais que haja quem nos queira acomodar e conformar a um discuroso meramente tecnocrata, gestionário e relativista dos referenciais mínimos da dignidade das pessoas, como tal e como trabalhadores, não é admissível que alguém, para não correr o risco da miséria da indignidade na sua vida pessoal e familiar, tenha que, no trabalho, se sujeitar à miséria da indignidade e do risco. Não é admissível que alguém, para ganhar a vida, para se manter socialmente digno, tenha que, como trabalhador, sujeitar-se à indignidade de não exercitar os seus direitos e ao risco de perder quotidianamente vida ou, mesmo, ao de, num instante perder a vida».

in Público de 17 de Maio de 2008

domingo, 18 de maio de 2008

Protesto professores franceses - Paris



Paris
Professores franceses protestaram hoje contra políticas de Sarkozy
Dezenas de milhares de professores protestaram hoje, numa marcha por Paris, contra a reforma educativa do presidente Nicolas Sarkozy que implica redução do número de docentes

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Internacional/Interior.aspx?content_id=93920

sexta-feira, 16 de maio de 2008

Manifestações regionais de protesto dos educadores e professores.


Participa! Acorda! Ergue-te!
dia 17 de Maio (sábado)

Lisboa (Alto do Parque Eduardo VII)

Porto (Pç. D. João I)

Coimbra (Pç. da República)

Évora (Pç do Giraldo)

às 15h00

Cortina de fumo

Depois de um patético pedido de desculpas “contrito” e a promessa de não voltar a pecar ( leia-se não voltar a fumar - e nós queremos lá saber se ele fuma ou não , desde que não nos atire o fumo para os olhos!!!), o sr. PM ficou a pensar melhor e ataca com a expressão "calvinismo de morais radicais" quem o critica…afinal a contrição e o arrependimento não tinham sido, como se pressupunha, nem sérios nem convictos… acrescentou que a lei é boa e é para cumprir, pelos vistos , pelos outros todos e não por ele… O Sr. PM devia então fazer umas recomendações à ASAE: quando um incumpridor da lei se mostre arrependido da infracção e jurar que não volta a infringir a dita lei conhecida ou desconhecida, boa ou má para a saúde e/ou bolso, não se aplique a lei…Aliás o sr. PR também nunca viu nem atrás da cortina nenhum jornalista fumar… nos voos da presidência…

quinta-feira, 15 de maio de 2008

Os professores perderam o juízo... ou ficha/ideia peregrina de os professores serem avaliados pelos pais com uma ficha destas

OPINIÃO que subscrevo de RAMIRO MARQUES publicada aqui
http://professoresramiromarques.blogspot.com/2008/05/uma-ficha-incrvel-de-avaliao-dos.html
Esta é demais! Vejam aqui uma ficha sobre a avaliação dos professores pelos pais! Como é que um conselho pedagógico pode aprovar uma coisa destas? Será que os professores perderam o juízo? Ou estão tão exaustos que desistiram de lutar contra as injustiças? Segundo sei, esta ficha ainda não foi objecto de aprovação pela escola. Cabe aos professores da escola onde esta proposta de ficha foi elaborada, recusarem liminarmente uma coisa tão estapafúrdia.Reparem bem nestas três pérolas:
1.elogia o aluno com clareza e de modo proporcionado?
2.critica o aluno com clareza e de modo proporcionado?
3.os trabalhos dos alunos são analisados, discutidos e avaliados?
Como é que é possível os professores aceitarem ser avaliados pelos pais com uma ficha destas? E os sindicatos não dizem nada? Não me restam dúvidas que o processo de transformação dos professores em empregados domésticos dos pais está em fase acelerada de concretização. Os pais e os alunos perderam o respeito pelos professores, limitando-se a seguir uma atitude de apoucamento e de menorização que o ME inaugurou vai para três anos. Quando se perde o respeito, é muito difícil voltar a ter autoridade.

Formação ... by INA!!!

Afinal a FORMAÇÃO proposta pelo INA já andava/anda pelas Escolas há dias...
Ver documentos e tal
aqui ( Vale a pena!!!)
http://educar.wordpress.com/2008/05/14/formacao-fatal/

terça-feira, 13 de maio de 2008

Pouca vergonha: lei para outros cumprirem, a do tabaco!

Assunto foi comentado durante o voo por empresários que viajavam no mesmo aparelho
Sócrates e Pinho violaram proibição de fumar a bordo do voo de Lisboa para Caracas
13.05.2008 - 13h33 Luciano Alvarez, em Caracas
http://ultimahora.publico.clix.pt/noticia.aspx?id=1328604&idCanal=12
O primeiro-ministro, José Sócrates, o ministro da Economia e Inovação, Manuel Pinho, e vários membros do gabinete do chefe do Governo violaram a proibição de fumar no voo fretado da TAP que ligou Portugal e Venezula e que chegou às cinco horas da manhã de ontem a Caracas (hora de Lisboa, 23h30 na capital venezuelana). O assunto foi muito comentado durante o voo por membros da comitiva empresarial que acompanha Sócrates e causou incómodo a algum pessoal de bordo.O supervisor do voo, a segunda autoridade a bordo logo após o comandante, disse não ter dúvidas de que era proibido fumar a bordo e, embaraçado, falou em “situações de excepção”. Um assessor do primeiro-ministro disse que “é costume” e que as pessoas [que iam a bordo] “não se importaram”.
(...)
O primeiro-ministro que restringiu e bem o fumo em Portugal devia dar o exemplo. Isto é uma pouca vergonha”, disse ao PÚBLICO, ao abrigo do anonimato, um dos empresários que se mostrava mais agastado com a situação, explicando que estava ali “para tentar fazer negócios e não arranjar problemas”.

Fatal como o destino ... e grave

As 96 , 94 ou 93 condutas abaixo são da autoria de Jorge Fatal Nogueira
- cujas habilitações se podem ver aqui http://psitasideo.blogspot.com/2008/05/o-negcio-da-avaliao-de-professores-com.html
e onde se pode ler
O "sistema" que o Dr. Jorge Fatal anda a "vender", consiste no enunciado de 96 "condutas" e mesmo assim, diz ele, que ainda funciona melhor se as condutas forem 12o, (com ponderações que a escola decide) de resposta Sim/Não.
E o que é GRAVE é que, para que "este sistema" seja usado, a escola tem de assinar um termo de compromisso de confidencialidade na base de um secretismo e confidencialidade inadmissíveis e inqualificáveis que vão contra todos os princípios avaliativos.



E conforme se lê aqui
http://fjsantos.wordpress.com/2008/05/13/as-dores-do-dr-fatal/ o dito senhor anda muito preocupado com esta divulgação... e escreveu para muitos autores de blogues com o objectivo de levar à autocensura , como aqui
http://educar.wordpress.com/2008/05/13/mail-enviado-pela-manha/

A mim o sr. não me escreveu nem faz falta, porque seria fatal que eu não retiraria nem uma vírgula ao que cá figura no post abaixo sobre o assunto com a elencação das tais famosas famigeradas condutas que só não passei a mais pessoas porque esgotei os contactos… não sei se mande também para o estrangeiro… O senhor pode ficar descansado que ninguém quer plagiar dito achado… agora o dito documento apareceu em público e , por enquanto, este país ainda é livre e podemos trocar impressões sobre as nossas leituras e trocar umas ideias por variadíssimos meios…penso eu...

domingo, 11 de maio de 2008

96 condutas...( ou se o ridículo matasse!...) DE UM SUPERPROFESSOR

...propostas na formação do INA, com a bênção do Ministério da Educação, para um SUPERPROFESSOR!!!

CONDUTAS
1. É pontual.
2. Disponibiliza-se para actividades que ultrapassam obrigações horárias/profissionais.
3. Cumpre prazos .
4. Quando trabalha em equipa é um elemento participativo e não conflituoso.
5. Zela e preserva material/equipamento escolar.
6. Proporciona ambiente calmo, propício à aprendizagem.
7. Numa reunião tem uma atitude de colaboração e de entreajuda.
8. Manifesta opinião própria e construtiva relativamente a assuntos debatidos.
9. Não gera mau ambiente no local de trabalho.
10. Evita banalidades e perda de tempo.
11. É receptivo à mudança.
12. Dá sugestões / tem opiniões críticas para melhoria de serviços.
13. Faz formação de acordo com o projecto educativo da escola (1/3).
14. Faz formação na sua área específica (2/3).
15. Disponibiliza-se para apoiar os alunos após as horas lectivas, sempre que considere necessário.
16. Regista e avalia o cumprimento das actividades planificadas.
17. Estabelece planos de acção para corrigir desvios.
18. Apoia o desenvolvimento de métodos de aprendizagem / estudo.
19. Estabelece e faz respeitar regras de convivência, colaboração e respeito.
20. Aplica os critérios de avaliação aprovados pelos órgãos competentes.
21. Cumpre o horário - substituir parâmetros de assiduidade
22. Mantém a calma perante uma situação de tensão com alunos, professores ou pais.
23. Mantém limpo e arrumado o local de trabalho.
24. Oferece-se para ajudar em outras áreas que não a sua quando é necessário.
25. Predispõe-se para ajudar as pessoas aquando da necessidade de urgência no serviço
26. Conhece o PE da escola, a missão e a visão da escola.
27. Utiliza correctamente os equipamentos.
28. Verifica o estado dos equipamentos antes e depois da sua utilização.
29. Zela pelo cumprimento do regulamento interno da escola.
30. É educado e cordial com todos os elementos da comunidade escolar
31. Perante uma situação determinada, apresenta diferentes alternativas como solução.
32. Comunica por escrito ao conselho executivo sugestões a implementar (por ex:com base na análise de melhores práticas de outras escolas ou organizações) que ajudam a garantir um serviço de mais qualidade.
33. Mantém a confidencialidade e discrição perante determinadas situações.
34. Recolhe diferentes opiniões ou sugestões procurando criar sinergias com os seus colegas com a mesma função.
35. Colabora / age no sentido de proporcionar um bom clima de escola.
36. Resolve situações de conflito sem ter que solicitar ajuda extra.
37. Assiste a aulas de colegas sempre que considera útil.
38. Permite que outros colegas assistam a aulas suas.
39. Actua de forma rápida e eficaz, de acordo com critérios predefinidos, dentro das acções previstas nos processos de trabalho em que está envolvido
40. Age com assertividade e discernimento, encontrando as soluções mais pertinentes para cada situação, apresentando-as ao respectivo responsável hierárquico.
41. Analisa problemas e toma decisões relativas a rotinas de trabalho, não necessitando de apoio superior.
42. Avalia sistematicamente os resultados que se propõe atingir e reformula as actividades para atingir os resultados de forma mais eficaz.
43. Cumpre prazos.
44. Transmite a sua opinião de forma racional e controlada.
45. É receptivo à mudança e envolve os seus pares para melhorar a sua área, a dos outros e a escola no seu todo, não se opondo às questões.
46. Quando é chamado a desenvolver outras actividades, encara sempre a situação de uma forma positiva, predispondo-se para actuar.
47. Revela empenho no desenvolvimento das tarefas, realizando-as antecipadamente.
48. Toma decisões e assume a responsabilidade não jogando a culpa dos problemas para cima de outros.
49. Sugere soluções inovadoras, antecipando a ocorrência de problemas.
50. Gere com eficiência todos os meios existentes na escola.
51. Procura todas as oportunidades de formação de forma a alargar conhecimentos específicos relativos à área da sua intervenção.
52. Propõe actividades com vista à modernização e desenvolvimento da comunidade onde se integra (extravasando os limites da escola).
53. Supera as expectativas do grupo com contribuições activas de desenvolvimento, motivando estes a seguir o exemplo, oferecendo ajuda e dando opiniões construtivas (não havendo rejeições das suas contribuições).
54. Assiste a eventos desenvolvidos por qualquer tipo de entidade.
55. Está ao corrente de situações e dificuldades de outras escolas desenvolvendo soluções na escola como prevenção.56. Perante uma dificuldade na escola conversa com outros colegas que possam partilhar situações similares e sugere determinadas acções.
57. Traz à escola pessoas de assuntos de interesse partilhando experiências.
58. Desenvolve planos de acção para a implementação de melhores práticas pesquisadas e adequadas à escola.
59. Fomenta o networking interno e externo através de comunicações e actividades.
60. Analisa continuamente as tendências dos outros e procura implementar as melhores práticas para encontrar as melhores soluções.
61. Aplica a formação recebida nas tarefas que lhe são atribuídas.
62. Aproveita ideias de outras áreas ou de organizações semelhantes e adapta-as à sua.
63. Avalia sistematicamente os resultados que se propõe atingir e reformula as tarefas, no sentido da melhoria, ou seja, faz alterações ao previsto, para atingir os resultados de forma mais eficaz.
64. Consegue sinergias com outras áreas da organização no sentido de facilitar ou agilizar o serviço.
65. Identifica situações que fogem do padrão do controle previsto e apresenta soluções ao Coordenador no sentido de evitar possíveis problemas.
66. Organiza e coordena actividades consideradas por outras áreas como melhores práticas e incorpora-as com vista à superação dos resultados previamente estabelecidos, apresentando propostas ao Coordenador para superação de objectivos através de um plano de acção.
67. Orienta e planeia acções com uma visão partilhada que potencia a missão e os valores da organização.
68. Partilha técnicas, ferramentas e conhecimentos dentro da organização.
69. Partilha técnicas, ferramentas e conhecimentos fora da organização, por exemplo fazendo apresentações em congressos, palestras, etc
70. Partilha técnicas, ideias e recursos melhorando o trabalho em equipa através de aconselhamentos aos seus colaboradores.
71. Predispõe-se para ajudar as pessoas aquando da necessidade de urgência no serviço.
72. Procura todas as oportunidades de formação de forma a alargar conhecimentos específicos relativos à área da sua intervenção.
73. Sempre que verifica alguma anomalia mesmo que não seja da sua área sugere soluções simples mas concretas.
74. Contribui para a mudança planeando melhores práticas e tomando iniciativas, com base em projectos de autonomia e liderança, medindo o grau de satisfação de pelo menos 75% dos seus colaboradores através de pesquisas de satisfação rápidas
75. Apresenta por escrito propostas de soluções novas de problemas fora da sua área de trabalho e de actuação
76. Cria acções novas e motivadoras para a manutenção da disciplina na sala.
77. Cria e implementa novas formas e metodologias que favorecem a participação dos alunos na realização da aula.
78. Cria ferramentas de controle da sua actividade ou de outros dentro da organização que sejam simples mas resolvam os problemas de acompanhamento.
79. Cria instrumentos que proporcionam auto avaliação dos alunos com rigor e objectividade.80. Cria novos métodos de estudo para os alunos, demonstrando a sua eficácia.
81. Cria novos sistemas ou metodologias nas turmas que estimulam o processo de ensino-aprendizagem.
82. Cria processos e critérios de avaliação e partilha com os avaliados, obtendo consenso e validação.
83. Desenvolve recursos inovadores para a realização de actividades lectivas.
84. É capaz de desenhar condutas observáveis dos colegas avaliados de forma simples e objectiva.
85. Envolve-se em projectos comunitários inovadores por iniciativa própria.
86. Estabelece mecanismos novos de seguimento ou acompanhamentos da implementação dos planos de melhoria negociados com os avaliados.
87. Executa um projecto de liderança inovador e consegue implementar ideias revolucionárias e estratégicas, envolve as pessoas nesses projectos não deixando de fora ninguém.
88. Inova com ideias jamais testadas em algum lado e prova que a organização poderá beneficiar disso.
89. O professor cria e implementa processos claros e reconhecidos pelos alunos para facilitar a sua disponibilidade e apoio aos mesmos.
90. Preocupa-se no desenho e implementação de novas ideias criadas por ele que ajudem a escola na redução do abandono escolar.
91. Propõe novas actividades com vista à modernização e desenvolvimento da comunidade onde se integra.
92. Quando apresenta os problemas apresenta também hipóteses de várias soluções criadas por ele, devidamente estudadas e analisadas e dá a sua opinião de como o problema pode ser resolvido da melhor forma.
93. Sugere novas estratégias para a resolução de problemas.
94. Sugere novos critérios que permitam fazer uma análise da planificação e estratégias de ensino para a adaptação ao desenvolvimento das actividades lectivas.
95. Sugere soluções inovadoras, antecipando a ocorrência de problemas.
96. Utiliza os resultados da avaliação dos alunos como base para criar novas formas de actividade lectiva que permitam desenvolver com eficácia e competência as atitudes dos alunos.

sábado, 10 de maio de 2008

Cuidado com o poder dos fracos




in Perpectivas
com o Público
de sábado 10/05/2008

Poder pelo medo...

E quando eu pensava que a delação era de outros tempos soturnos e negros …

Educação
Inspectores recebem queixas contra professores online
Por Margarida Davim
No site da Inspecção-Geral de Educação, alunos e encarregados de educação podem preencher um formulário para apresentar queixas contra escolas e professores. Movimento cívico de docentes teme que as denúncias na internet façam com que os professores se sintam intimidados


Ler notícia na íntegra

http://sol.sapo.pt/PaginaInicial/Sociedade/Interior.aspx?content_id=92561


… os tempos soturnos e negros voltaram com uma desfaçatez pavorosa!... andam mascarados de democracia!!!

sexta-feira, 9 de maio de 2008

Aplicar o sistema...de avaliação

Já que muitos jornalistas e comentadores defendem e compreendem o modelo proposto para a avaliação dos docentes, estranho que, por analogia, não o apliquem a outras profissões (médicos, enfermeiros, juízes, etc). Se é suposto compreenderem o que está em causa e as virtualidades deste modelo, vamos imaginar a sua aplicação a uma outra profissão, os médicos.A carreira seria dividida em duas: médico titular (a que apenas um terço dos profissionais poderia aspirar) e médico. A avaliação seria feita pelos pares e pelo director de serviços. Assim, o médico titular teria de assistir a três sessões de consultas, por ano, dos seus subordinados, verificar o diagnóstico, tratamento e prescrição de todos os pacientes observados. Avaliaria também um portefólio com o registo de todos os doentes a cargo do médico a avaliar, com todos os planos de acção, tratamentos e respectiva análise relativa aos pacientes. O médico teria de estabelecer, anualmente os seus objectivos: doentes a tratar, a curar, etc. A morte de qualquer paciente, ainda que por razões alheias à acção médica, seria penalizadora para o clínico, bem como todos os casos de insucesso na cura, ainda que grande parte dos doentes sofresse de doença incurável, ou terminal. Seriam avaliados da mesma forma todos os clínicos, quer a sua especialidade fosse oncologia, nefrologia ou cirurgia estética…
in percuciente.wordpress.com (6 Maio, 2008) chegado aqui via mail

quinta-feira, 8 de maio de 2008

QUEM DÁ MAIS???

Corre e pode verificar-se que o INA (Instituto Nacional de Administração) está a "oferecer" ( que é como quem diz!!!) cursos sobre avaliação de pessoal docente.
O curso tem 16 horas de formação, custa 200 euros e é leccionado pelo Dr. Jorge Fatal.
Pode perceber-se como ganhar milhares de euros, consultando o programa:
Seminário Avaliação do Desempenho do Pessoal Docente
Semide, 9 e 10 de Maio, Agrupamento Escolas Ferrer Correia
INA, Oeiras, 12 e 13 de Maio - esgotado
Coimbra, 22 e 23 de Maio, Agrupamento Escolas Martim de Freitas
INA, Oeiras, 6 e 7 de Junho - esgotado
INA, Oeiras, 11 e 12 de Junho - esgotado
INA, Oeiras, 20 e 21 de Junho - esgotado
INA, Oeiras, 30 de Junho e 1 de Julho
Póvoa do Varzim, 4 a 5 de Julho
Portel, 2 e 3 Julho

( mais pormenores aqui : www.ramiromarques.blogspot.com)

Expliquem-me só por que razão os Professores se sujeitam a isto? Que interesses os moverão?

Pessoas Verticais... CE do Agrupamento Escolas Azeitão demite-se

Nem tudo se acobardou ou moldou, nas escolas. Nem todos são adesivos ou amarelinhos. Vale a pena ler esta carta.
-------------------------------------------------------------------------------------------------Pedido de demissão entregue ao Presidente da Assembleia do Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão

Vai para três anos que, culminando um processo democrático amplamente participado, tomou posse este Conselho Executivo.Assumimos, então, o compromisso de 'cumprir com lealdade' as funções que nos eram confiadas, funções que decorriam de um quadro legislativo bem diverso do actual. Neste exercício, democratizámos as relações inter-pares, gerámos expectativas e esperanças, fomentámos a iniciativa e a criatividade, quisemos aprofundar a relação pedagógica, libertando os professores de tarefas menores, para benefício dos alunos. Respeitando as pessoas e dignificando a Escola. Porém, as regras mudaram a meio do jogo. É agora bem diferente enquadramento legal que regula a nossa acção.Uma incontinência legislativa inexplicável minou e desvirtuou os compromissos que assumíramos: não nos propusemos asfixiar os professores em tarefas burocráticas sem sentido, alheias ao objecto da sua missão; não nos propusemos fragilizar o estatuto dos profissionais da educação; não nos propusemos submergir os docentes em relatórios, planos, projectos, registos, sem que daí resultassem vantagens ou benefícios para os alunos; nem nos propusemos liquidar o espaço de participação democrática na escola.Com a actual publicação do Dec. Lei nº 75/2008 suprime-se tudo o que de dinâmico, criativo e participado existia na gestão das escolas. A opção por um órgão unipessoal - o director, a sua selecção num colégio eleitoral restrito, as nomeações dos responsáveis pelos cargos de gestão intermédia pelo director, são medidas que não têm em conta os princípios de uma gestão assente na separação de poderes entre os vários órgãos. Este diploma potencia riscos de autocracia e não reconhece o primado da pedagogia e do científico face ao administrativo. Encerra uma lógica economicista e empresarial adversa à verdadeira missão da escola. Não valoriza nem reconhece a diversidade de opiniões e a consequente construção de consensos como motores privilegiados da mudança e da promoção de uma escola de qualidade. Não permite que a instituição escolar se constitua como um espaço privilegiado de experiências de cidadania.Em suma, passados 34 anos sobre o 25 de Abril, o modelo democrático de gestão chegou ao fim. E aos órgãos democraticamente eleitos, convertidos em comissão liquidatária, é 'encomendada' a tarefa de, negando a sua própria natureza, abrirem caminho a um ciclo de autoridade não sufragada, de centralismo, e até de governamentalização da vida das escolas.Por considerar que o novo modelo de gestão atenta contra valores e princípios que sempre defendi, e por não querer associar-me à sua implementação, eu, Maria Leonor Caldeira Duarte, apresento o pedido de demissão do cargo de Vice-presidente do Conselho Executivo do Agrupamento Vertical de Escolas de Azeitão.Com os melhores cumprimentos
Azeitão, 28 de Abril de 2008
Maria Leonor Duarte
( chegado por mail)

domingo, 4 de maio de 2008

Em defesa da Língua Portuguesa

MANIFESTO
EM DEFESA DA LÍNGUA PORTUGUESA
CONTRA O ACORDO ORTOGRÁFICO