quarta-feira, 24 de junho de 2009

Ida...

... e volta!
Interregno curto... até terça-feira!!!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

O PM estava errado , mas a avaliação não vai para o lixo

Depois de ouvir a entrevista do PM , de ter lido o post do P. Guinote "Absurdistão" http://educar.wordpress.com/2009/06/19/absurdistao/ e receber o mail sobre a notícia do JN "Formação para avaliadores só no fim do ano lectivo", pergunto-me outra vez por que razão continua tudo ( poucas excepções!) mudo e calado...
Reajam ,
digam alguma coisa,
sindicatos, onde estais?

quarta-feira, 17 de junho de 2009

Confusões

Sócrates anda confundido, até já confunde maioria parlamentar com maioria absoluta, ou não, possivelmente quer baralhar as pessoas... atnto as quer baralhar que até já promete "ser mais humilde", seja lá o que isso for para uma pessoa com as suas características que conseguiu fazer-se odiar por tantas pessoas. Não venha agora vestir a pele de cordeiro, sabemos de sobejas lições que não funciona, deixe-se o senhor seguir o seu caminho, não engane mais uma vez as pessoas, que já estão fartas...não se faça passar por quem não é, agora que o resultado das eleições lhe mostrou que as pessoas não são nem escravas nem objectos, são cidadãos de pleno direito e têm sempre uma palavra a dizer, mesmo quando se obtém maioria absoluta ou , principalmente, por causa disso mesmo... humildade da maioria absoluta teria sido necessária... mas era antes...

segunda-feira, 15 de junho de 2009

quarta-feira, 10 de junho de 2009

Adieu Monsieur le Professeur

Adieu Monsieur le Professeur

Este vídeo NÃO foi patrocinado pelo Ministério da Educação. (Recebido por mail do Manuel Sanches)

Adieu Monsieur Le Professeur

Star Academy

Les enfants font une farandole

Et le vieux maître est tout ému :

Demain, il va quitter sa chère école.

Sur cette estrade, il ne montera plus.

Refrain Adieu, monsieur le professeur.

On ne vous oubliera jamais

Et tout au fond de notre coeur,

Ces mots sont écrits à la craie.

Nous vous offrons ces quelques fleurs

Pour dire combien on vous aimait.

On ne vous oubliera jamais.

Adieu, monsieur le professeur.

Une larme est tombée sur sa main.

Seul, dans la classe, il s'est assis.

Il en a vu défiler, des gamins

Qu'il a aimés tout au long de sa vie.

Refrain

De beaux prix sont remis aux élèves.

Tous les discours sont terminés.Sous le préau, l'assistance se lève.

Une dernière fois les enfants vont chanter :

Refrain

segunda-feira, 8 de junho de 2009

Eleições europeias - a derrota da arrogância

Durante quatro anos, o PS, Sócrates e seus clones humilharam e desprezaram as pessoas, esqueceram os direitos das pessoas; fizeram da arrogância a bandeira da determinação obtusa, surda e cega, contra tudo e contra todos. Enrolaram-se em propaganda balofa. Na campanha, encheram salas com bandeiras dos apaniguados, com palavras ocas e sem sentido, desprezaram os adversários. Os jornalistas acompanhavam a campanha dos outros partidos, e treminavam as reportagens quase sempre com uma graçola, sem isenção, ao serviço de... Os jornalistas não leram os sinais, ( não souberam ou não quiseram) inebriados pelas aparências ( pelas determinações superiores???), pelas sondagens (fabricadas???), pela arte da manipulação.
Ontem, a arrogância perdeu.
Sócrates diz que vai continuar as políticas com determinação. Ainda bem. Em Outubro, a queda do "menino de ouro" será mais estrondosa ainda! Os jornalistas, perante as evidências, ficaram transtornados, teimavam, ao final da noite, como último recurso de esperança rosada, impingir uma sondagem para as legislativas, em que o PS ganhava de novo. E, mesmo depois de comentada tal sondagem, repetia-se, insistentemente, a pergunta num desespero, em figuras tristes. Nem a resposta de António Barreto, dizendo que tal sondagem era inútil naquele momento, pois os dados tinham mudado, os calou. E queriam a todo o custo levantar o PS, caído no chão.
Miguel de Sousa Tavares parecia um menino mimado a quem tinham trocado os brinquedos na caixa. Ele também não soube nem quis ler os sinais.
Ninguém viu os trabalhadores na rua, ninguém viu os agricultores, os enfermeiros, os professores na rua, ninguém os levou a sério, bando de ingratos, manipulados por forças ocultas. Ninguém leu os sinais , não quiseram ou não souberam. Em tempos , não se liam jornais, agora , apesar do choque tecnológico, anunciado com pompa e circunstância, não se lêem blogues. OU se os lêem, é para lançarem alfinetadas e os desprezarem... a resposta das pessoas está aí, a determinação não é coragem, é cegueira e teimosia irresponsável.

sábado, 6 de junho de 2009

Eduardo Cintra Torres - in Público

Frases sem comentários:
«O Expresso de sábado passado confirmou o mais ruidoso silêncio musical dos últimos tempos: a música dos Xutos e pontapés Sem eira nem beira não passa em nenhuma rádio nacional.»
(...)
Sem eira nem beira foi censurada pelas rádios por ser identificada como um libelo contra o regime de Kim-Il Chávez Sócrates. É uma vergonha para os directores das rádios públicas e privadas e um sinal horrível do tempo em que vivemos.»

quinta-feira, 4 de junho de 2009

70% de abstenção e nada acontece?

Prevê-se, com a inclusão automática dos jovens de 18 anos nas listas do recenseamento, mais de 70% cento de abstenção; então para que servem as eleições, se daí ( da abstenção e dos votos brancos) nem sequer se tiram nenhumas consequências e tanto vale votarem 30% como 80%??? não há lago errado nisto???