sábado, 17 de março de 2012

Limpar? ou antes: NÃO sujar?

Cada vez que vou à janela que dá para a Escola C+S de S. Miguel ( Guarda), tenho vontade de escrever sobre este assunto. Fui adiando.

Hoje , vi este "anúncio" na revista Fugas do jornal Público ( Sábado, dia 18 de Março).



Apoio, aprovo, acho muito bem.

Mas interrogo-me:

Afinal ...

Para que servem as campanhas de sensibilização em instituições várias?

Para que servem os esforços de Professores e outros que passam o tempo a alertar para este problema, para a necessidade de NÃO FAZER LIXO,  seja ele de que espécie for, pelo nosso planeta, pelo nosso país, pela nossa terra, pela nossa rua, pela nossa Escola?

Para que servem as campanhas de limpeza em praias, em florestas, rios, em ... tudo o que é sítio?

Para quê?

Se, afinal, por mais campanhas de sensibilização e campanhas de limpeza que haja, o lixo continua a acumular-se OUTRA VEZ  nas mesmas praias, nas mesmas florestas, nas mesmas margens, nos mesmos rios, nos mesmos lugares?... para se voltarem OUTRA VEZ  a organizar grupos muito belos, muito bonitos, muito empenhados para limpar?

Não seria mais eficaz impedir que NÃO  se sujasse, que NÃO se atirasse lixo para o canto do jardim, quando há ali ao lado um recipiente para o efeito? Não seria mais eficaz EXIGIR  que NÃO se sujasse? Ou, como virá depois de nós alguém que vai limpar, estamos autorizados sempre a lançar o lixo para onde nos dá mais jeito? E não são só os jovens, crianças que procedem assim, toda a gente faz isso: "acampam" num sítio para lanchar e o lugar fica logo uma miséria, ( salvo raríssimas excepções) quem vier depois de nós, que se lixe...

Vêem estas considerações a propósito do que está à vista, todos os dias, a toda a hora ( os técnicos de higiene das empresas de limpeza fazem o que podem ao longo da estrada, mas o lixo pode mais que eles), no caminho para a Escola atrás referida, ao lado da Escola, como se pode comprovar por estas fotos registadas há minutos. E amanhã, voltará a estar assim... E eu não acredito, não quero acreditar que os alunos que todos os dias ali passam e, mais uma vez, contribuem para o lixo ali acumulado, não tenham NUNCA ou em casa ou na Escola ouvido dizer que NÃO  se deita o lixo para o chão...

Como se pode pôr fim a este flagelo? Toda a gente sabe a teoria, mas a prática deixa muito a desejar...




Sem comentários: