sábado, 18 de agosto de 2012

Igreja Matriz de Aldeia Viçosa, concelho da Guarda

Há quem programe casamentos de espavento, ditos "pela Igreja", em grandes Catedrais para "valorizar", pensam alguns noivos e pais, a cerimónia, a festa, o luxo.

Há quem escolha aquela capelinha naquele lugar especial para vincar esses momentos felizes num sítio, onde, às vezes, toda a história começou.

Outros trazem no coração a terra onde nasceram, os avós que os criaram, quando, noutros tempos, os pais emigravam e os deixavam entregues aos avós, àquela avó tão especial. São esses que sublinham, com orgulho que vão casar na Igreja das suas terras, umas vezes, obscuras capelas, outras vezes, belas igrejas. Está neste caso a Igreja Matriz de Aldeia Viçosa, cujos dados importantes aqui ficam.

http://www.igespar.pt/pt/patrimonio/pesquisa/geral/patrimonioimovel/detail/7567693/

Para se aferir da sua beleza ( da beleza dos corações, não falam as palavras!), aqui estão umas fotos:

http://commons.wikimedia.org/wiki/Category:Church_of_Aldeia_Vi%C3%A7osa_%28Guarda%29



2 comentários:

vieira calado disse...

Se eu alguma vez tivesse casado, haveria de ser na igreja da freguesia onde nasci.

Beijinho para si.

Duarte disse...

As igrejas da nossa terra marcam um sentimento de compromisso, como a do Salvador de Moreira.
Com o que não comungo é com acções externas, com a pomposidade.
Abraços de vida