domingo, 25 de maio de 2008

Ser pastor - programa exótico, fonte de receita ou luta contra o esquecimento?


« Um dia vamos querer voltar ao campo , em busca da nossa memória primordial...

(...)

.... Só então perceberemos a tragédia , o erro colossal de acreditramos que os político-economistas têm razão quando dizem que muitas aldeias estão condenadas a desaparecer para que outras possam sobreviver, porque o Estado não pode sustentar todo o território.

(...) »

in Fugas nº 418 de 24/05/2008 (com o Público)

3 comentários:

O Profeta disse...

Uma voz quebra o silêncio
Um espelho retêm a beleza
Vi com os olhos fechados
A fúria da minha incerteza

Fecham-se as janelas de poente
Este nevoeiro galga o pensamento
Uma semente solta num ribeiro
Corre no incerto de cada momento


Deixo-te uma doce acalmia


Mágico beijo

Porca da Vila disse...

Na terra está o futuro de um povo. Quem o ignorar é louco. Entre nós, infelizmente, há muitos que o esquecem. Não gostam de sujar as mãos. Com terra, pelo menos. E o futuro deste pobre país é o que está à vista...

Xi Grande

Agulheta disse...

Amiga Renda.Pois a terra tudo dá basta trabalhar nela,mas as aldeias estão a ficar só com velhos! pois os novos fogem a sete pés deste país de miséria.
Beijinho Lisa