sábado, 14 de junho de 2008

O pior erro será ignorar o voto irlandês - editorial de José Manuel Fernandes



A democracia para certas pessoas é assim: se o voto agrada, aceita-se! Se não agrada, passa-se à frente e faz-se de conta que não aconteceu! E se o voto fosse da França ? Ou da Alemanha??? Pois a ideia é essa e isto é apenas uma amostra : os países com menos habitantes ficarão reduzidos à sua insignificância ( metros quadrados/nº de habitantes) ; até parece que Durão Barroso e outros que nós sabemos nem são portugueses nem nada, quer dizer , de um país que nem é muito grande nem tem um nº elevado de habitantes...Mas hoje o Nuno Rogeiro disse que este tratado está no mesmo ponto que o anterior depois do não da França e da Holanda... aliás, ele só ia singrando pela Europa fora, porque os parlamentos o aprovavam sabendo que, de outro modo , não passava...
E atenção também a este Editorial do Público ( 14/06/2008)

1 comentário:

Kaotica disse...

Como vão eles subverter as regras que eles próprios criaram? Medo de sair da UE... faz-me lembrar quando o controle de tráfego aéreo era para ser deslocado dos Açores para Lisboa e fizeram crer ao povo de uma pequena ilha que iam tirar de lá o aeroporto. Não é a Europa que recusamos. Somos europeus. Mas não queremos esta falácia que dá pelo nome de UE. Queremos uma Europa de nações cooperantes e não que umas se ponham à frente e digam que são titulares (se formos a ver bem tudo o que vem da actual UE obedece ao mesmo modelo piramidal e autoritário). Mas quem lhes concedeu essa autoridade? Quem votou nesses mandarins da Europa? Quem votou no Durão Barroso para ele nos estar a dirigir a partir ainda mais de cima? Que governo é o nosso que se limita a cumprir as ordens de Bruxelas? Que sinistro presidente temos nós que diz que um Tratado rejeitado democraticamente pelo povo irlandês "não é para meter na gaveta?"

Boa semana!