sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

Decreto 2/2008

Ando a mastigá-lo, ao Decreto 2/2008.

Devagarinho para não me provocar uma indigestão muito grande...

Ou uma congestão.

Ou os neurónios fundidos...

Ou a revolta. Ou a incredulidade. Ou o espanto.

Não estamos "em genuflexão" como disse algures o Professor Santana Castilho. Estamos de rastos. Trucidados por uma máquina infernal, incoerente, bizarra...

1 comentário:

Sophiamar disse...

Isto não pode estar a acontecer!
Pensava eu. Há tempos. Afinal havia outra.Abateu-se sobre o ensino uma saraivada de tal maneira grande que deixou os profissionais espantados, revoltados, humilhados, arrasados...

Beijinhossss